Aplicações Monolíticas x Microsserviços

05/02/2021 | News

 

É uma constante no mercado de TI a necessidade de reavaliação de novas ferramentas. No caso das arquiteturas de softwares, a opção entre o uso de Aplicações Monolíticas ou Microsserviços requer uma análise das características, vantagens e desvantagens de cada sistema.

Numa descrição simplificada, a arquitetura monolítica é um sistema único, não dividido. É uma aplicação de software em que diferentes componentes estão ligados a um único programa dentro de uma plataforma. Nela, há uma dependência entre os serviços de uma mesma aplicação. Já, os microsserviços são um tipo de arquitetura de software que desmembra aplicações em serviços independentes que se comunicam usando APIs bem definidas. É uma aplicação mais leve que a criada em um único bloco ou monolito.
Vantagens e desvantagens

A arquitetura monolítica se destaca por sua facilidade de desenvolvimento, teste e manutenção; pela existência de apenas um sistema; pela forma horizontal de escalada; pelo tráfego baixo de rede, uma vez que não existe comunicação entre serviços. Por outro lado, traz como desvantagens a complexidade de código, que dificulta a execução de alterações rápidas; a falta de flexibilidade entre linguagens de programação; o fato de uma alteração exigir um deploy de toda aplicação e de um código errado poder deixar o sistema inoperante.

Os microsserviços se destacam pela facilidade de implantação; pela escalabilidade flexível; pela diversidade tecnológica que permite o uso de várias linguagens de programação; pela autonomia, especificidade; agilidade, objetividade e resiliência, além da facilidade de as equipes trabalharem em itens separados. Segundo Martin Fowler e James Lewis (2014), as características deste estilo de arquitetura em relação à organização da lógica de negócio são a implantação automatizada, a inteligência nas pontas e o controle descentralizado de linguagem e informação. Por outro lado, os microsserviços possuem desvantagens como a demanda de maior atenção e tempo para a sua criação; a replicação de código de resposta (o padrão de um serviço pode se repetir em outros); a necessidade de um gerenciamento mais complexo.

Apesar das diferenças, é possível uma união de arquitetura monolítica e microsserviços onde existam microsserviços ou serviços maiores consumidos pela arquitetura monolítica. Embora a arquitetura de microsserviços seja muito bem avaliada, ela não é, necessariamente, a melhor opção para todos os casos. Também não se pode afirmar que a aplicação monolítica esteja ultrapassada. Ela deve continuar sendo adotada sempre que for a arquitetura que melhor atender a necessidades específicas. A análise prévia à uma escolha deve considerar as possibilidades de quebras de sistemas, facilidades de manutenção, custo-benefício da mudança, bem como a capacitação das equipes. A problemática da arquitetura de software vai além de uma noção de certo e errado pois envolve diferentes cenários, circunstâncias e objetivos que cada modalidade de software pode solucionar de modo mais eficaz. O fundamental para uma escolha acertada é o conhecimento sobre a funcionalidade e adequação de cada um dos sistemas.

https://aws.amazon.com/pt/microservices/

https://www.zappts.com/blog/arquitetura-monolitica-e-microsservicos/

https://blog.geekhunter.com.br/arquitetura-de-microsservicos-x-arquitetura-monolitica/

 

Fale com nossa equipe

+55 11 4178-8811

sphere@sphereit.com.br

Endereço: Rua José Versolato, 111 - 18º Andar – São Bernardo do Campo

Fale com nossa equipe

+55 11 4178-8811

sphere@sphereit.com.br

Endereço: Rua José Versolato, 111 - 18º Andar – São Bernardo do Campo

pt_BR