Plano de contingência das empresas de TI – COVID 19

           O COVID19 está levando a população mundial a criar novos hábitos para combater seu avanço e, com isso, alterando rotinas pessoais, familiares, profissionais e empresariais, com anúncios de medidas fortemente associadas ao uso de recursos avançados de tecnologia que reduzem a necessidade da presença física para a realização de negócios. Empresas de todos segmentos, públicas e privadas, podem contar como seus aliados para superar a crise o uso da internet e das redes, os recursos de identificação digital, a criptografia e a biometria presentes nas transações bancárias, no e-commerce, na emissão de certificados digitais de autenticações seguras.    
       A adoção da modalidade do home office traz para o setor de serviços de TI, especificamente, além dos desafios da continuidade e crescimento dos negócios, o risco de vazamento de informações e roubo de dados. Os CIOs, além das preocupações com cadeia de suprimentos e efeitos econômicos, enfrentam a questão da manutenção da segurança num cenário inédito e devem dar claras instruções aos colaboradores sobre os riscos da utilização de redes públicas ou compartilhadas, comumente utilizadas nos crimes digitais.
       Requisitos de licenciamento, como serviços VPN e outros softwares, devem ser considerados, visto que nem todos colaboradores possuem licenças para uma comunicação sem interrupção. A arquitetura de firewall deve ser reconfigurada para gerenciar os aumentos no tráfego. Planos relativos a sistemas de proteção (IPS) também devem ser revistos para combater acessos não autorizados.
           As próximas fases do surto são incertas e há uma mobilização geral para se adequar à realidade criada pela disseminação do COVID-19. Diante desse quadro instável e desafiador, o Gartner pede que os líderes de TI tomem medidas que os preparem para as interrupções dos negócios e que aumentem a resiliência de suas organizações. Diante do inusitado da crise, da quantidade e velocidade com que circulam as notícias, clareza e honestidade também são fundamentais para a continuidade das operações.

 

Ver notícias anteriores